CHEDV adquire novo mamógrafo

O Centro Hospitalar de Entre o Douro e Vouga (CHEDV) adquiriu um novo mamógrafo, um equipamento que, além de uma resolução espacial superior, permite a realização de várias técnicas relevantes no rastreio, diagnóstico e intervenção mamária.

Este novo equipamento permite a realização de tomossíntese, uma técnica em que é efetuado um estudo tridimensional da mama, ultrapassando algumas limitações inerentes à mamografia convencional, sem aumento significativo da dose de radiação comparativamente com uma mamografia convencional.

Assim, podem ser evitados exames de vigilância, caracterização por outras técnicas e ainda biópsias desnecessárias, melhorando a precisão diagnóstica e detetando lesões suspeitas mais precocemente.

O novo equipamento permite ainda a realização de mamografia com contraste, semelhante à mamografia convencional, porém realizada após administração de contraste iodado endovenoso.

A mais recente aquisição do CHEDV tem como princípio a neovascularização que ocorre em lesões malignas, sendo comparável em termos de sensibilidade e especificidade à Ressonância Magnética mamária, e tendo como vantagens em relação à mesma a rapidez e conforto de realização, a acessibilidade e o custo.

De acordo com o CHEDV, no futuro será possível a realização de biópsias mamárias assistidas por vácuo, uma técnica que permite a obtenção de fragmentos de maiores dimensões, aumentando a confiança no diagnóstico histológico por maior representação das lesões, evitando repetição de biópsias e, em alguns casos, biópsias excisionais cirúrgicas.

É um procedimento rápido, bem tolerado e minimamente invasivo, com menores custos face a uma intervenção cirúrgica. Atualmente tem também um papel terapêutico, permitindo a excisão de lesões benignas de pequenas dimensões.

Hospital de Bragança tem novo aparelho de Ressonância Magnética

A Unidade Local de Saúde (ULS) do Nordeste dispõe de um novo e moderno aparelho de Ressonância Magnética, instalado na Unidade Hospitalar de Bragança, aumentando assim a capacidade de resposta e permitindo a realização de 500 exames por mês.

“Trata-se de um investimento há muito ambicionado, que vem colmatar a inexistência deste equipamento nos hospitais do Serviço Nacional de Saúde no distrito de Bragança, deixando assim, agora, a ULS do Nordeste de estar dependente de entidades externas para a realização de exames de Ressonância Magnética”, refere a ULS do Nordeste em comunicado.

Considerado fundamental na diferenciação do diagnóstico e no apoio à decisão clínica, este equipamento aumenta a capacidade de resposta da ULS do Nordeste às necessidades, permitindo a realização de 500 exames por mês, quer programados, quer de urgência.

Para a instalação do novo equipamento foram também realizados trabalhos de adaptação do espaço no hospital, integrado no Serviço de Imagiologia, incluindo salas destinadas a apoio técnico e ao recobro dos utentes.

Trata-se, segundo a ULS do Nordeste, de um investimento que se traduz “em maior qualidade, rapidez, eficiência, segurança e conforto, beneficiando quer os utentes, quer os profissionais na prestação de cuidados de excelência”, de acordo com aquela que “é a missão da ULS do Nordeste”.

IPO Lisboa recebe equipamentos no valor de 65 mil euros

O Rotary Club de Lille e o Rotary Club de Lisboa Internacional vão doar ao Instituto Português de Oncologia de Lisboa Francisco Gentil (IPO Lisboa) material especializado de tecnologia avançada em laparoscopia, que vai permitir o reforço de meios e contribuir para a qualidade de vida e bem-estar das pessoas com doença oncológica.

O anúncio da doação deste material, num valor que ultrapassa os 65 mil euros, foi feito numa visita realizada ao IPO Lisboa, na semana passada, com representantes das duas instituições.

De acordo com o diretor do bloco operatório, Luís d’Orey Manoel, “o reforço do número de instrumentos para laparoscopia nas especialidades de Ginecologia e Urologia vai permitir uma maior facilidade na realização de intervenções, uma vez que a sua utilização não ficará tão dependente da capacidade de esterilização dos atualmente existentes”.

O especialista acrescentou que a existência de vários conjuntos de instrumentos “permite a realização de várias intervenções sequenciais”.

Esta cooperação com os Rotary Club de Lille e de Lisboa Internacional compreende outras duas vertentes. Uma prevê a prossecução do intercâmbio com os Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa, como Cabo Verde, Angola e São Tomé e Príncipe, com vista à formação de equipas médicas e de técnicos daqueles países, que o IPO Lisboa tem vindo a desenvolver ao longo dos anos.

A outra prende-se com a celebração de um protocolo de cooperação entre o IPO Lisboa e o Centre Oscar Lambret, de Lille, com o objetivo de partilha de informação e boas práticas na utilização de técnicas laparoscópicas, de forma a aumentar a eficiência das equipas cirúrgicas nesta área.

Hospital de Ovar tem novo ecógrafo para a fisiatria de intervenção

O serviço de Medicina Física de Reabilitação (MFR) do Hospital Dr. Francisco Zagalo-Ovar dispõe de um novo ecógrafo, utilizado na área da fisiatria de intervenção, que permite uma maior operacionalidade de processos.

O coordenador do serviço de MFR, Amílcar Cordeiro, afirmou que este “equipamento vem dar mais armas terapêuticas para se conseguir orientar e tratar melhor os doentes”, salientando a importância da “diferenciação e inovação” dos serviços e na melhoria dos cuidados prestados.

“Se o doente tiver muita dor, porque tem uma inflamação, nós podemos fazer uma infiltração para controlar a referida inflamação de uma forma mais célere e complementar com o trabalho de fisioterapia”, explicou o médico fisiatra.

A nova funcionalidade insere-se num conjunto de ações desenvolvidas no âmbito do Serviço de MFR, incluindo uma maior interligação com as outras áreas de intervenção do hospital, como acontece com a ortopedia.

“Estamos a proceder a algumas melhorias que se irão traduzir na qualidade dos serviços que prestamos aos nossos doentes”, sublinhou Amílcar Cordeiro.

O presidente do Conselho Diretivo do Hospital de Ovar, Luís Miguel Ferreira, salientou que “está a ser feito um enorme esforço de reforço dos vários serviços de implementação de novas técnicas, aquisição de novos equipamentos e adaptação de espaços, sempre focados na prestação de melhores cuidados de saúde aos utentes”.

CHBM reforça cuidados neonatais com novos equipamentos

O Centro Hospitalar Barreiro Montijo (CHBM) equipou um dos quartos do Bloco de Partos com equipamentos específicos em reanimação neonatal, adquiridos ao abrigo do Projeto “Minuto de Ouro” e oferecidos pela Fundação Oriente, com o objetivo de reforçar os cuidados aos recém-nascidos.

Trata-se de uma mesa de reanimação neonatal, um carro hospitalar de material de apoio e um laringoscópio, no valor de cerca de 30 mil euros. A mesa de reanimação neonatal dispõe de equipamento de monitorização cardiorrespiratória, dispositivo de apoio ventilatório com pressão controlada, misturador de oxigénio, ventilador, CPAP e incubadora de transporte.

A Urgência Obstétrica e Ginecológica do CHBM realiza, em média, 1500 partos anuais. Alguns partos são resultantes de gravidezes de risco, em que os recém-nascidos requerem de cuidados de reanimação. O período de um minuto após o parto é chamado o “Minuto de Ouro”, no qual o recém-nascido deve ter respiração espontânea. No entanto, existem determinadas condições maternas e fetais as quais constituem fatores que podem conduzir a um desfecho que implique a necessidade de manobras de reanimação neonatal.

O termo reanimação neonatal é habitualmente usado para descrever a assistência ao recém-nascido na transição da vida fetal para a vida neonatal. O sucesso desta transição depende acima de tudo das condições maternas/fetais e das boas práticas utilizadas na assistência ao recém-nascido, de forma a garantir a ausência de sequelas neurológicas irreversíveis, promovendo futuros ganhos em saúde.

“A aquisição destes equipamentos permitirá promover ainda mais os cuidados prestados à grávida e ao recém-nascido no CHBM. O Bloco de Partos, situado no Hospital de Nossa Senhora do Rosário, é composto por sete quartos individuais, onde se desenvolve todo o trabalho de parto e parto, privilegiando a vigilância e a promoção do bem-estar materno-fetal, e ainda de duas salas de bloco operatório”, referiu o CHBM em comunicado divulgado.

Serviço de Imagiologia do Centro de Saúde de Estremoz tem novo equipamento

O Serviço de Imagiologia do Centro de Saúde de Estremoz retomou a sua atividade normal, no dia 31 de março, com um novo equipamento de radiologia, que vai permitir aumentar a capacidade de diagnóstico radiológico, oferecendo uma melhor qualidade assistencial à população.

Trata-se de um equipamento de última geração, com solução em sistemas de Raios-X que admite a realização de todos os exames de radiologia convencional com várias configurações possíveis, excelente qualidade de imagem e novas funcionalidades amigáveis para utentes e profissionais, sendo assim possível realizar exames a todo o sistema osteoarticular.

O Serviço de Imagiologia é composto por uma equipa de quatro profissionais, técnicos superiores de diagnóstico e terapêutica da área de Radiologia.

Com a aquisição deste novo equipamento, a Administração Regional de Saúde do Alentejo visa ampliar a capacidade de diagnóstico radiológico, com ganhos evidentes para a população e para os seus profissionais de saúde.

O processo de aquisição deste equipamento decorreu no final de 2021 e teve um custo de 150.000 euros mais IVA.?

O Serviço de Imagiologia está disponível tanto para o âmbito do Serviço de Urgência Básica, como para as restantes unidades funcionais do Centro de Saúde de Estremoz, servindo também todos os concelhos pertencentes ao Agrupamento de Centros de Saúde Alentejo Central, mediante a apresentação de requisição do Serviço Nacional de Saúde, prescrita pelo médico de família, acompanhada de respetiva informação clínica.

Hospital de Braga investe em novos equipamentos para exames endoscópicos

O Hospital de Braga investiu 274 mil euros no Serviço de Gastrenterologia, sendo a maior fatia destinada à aquisição de equipamentos “altamente diferenciados” para execução de exames de endoscopia digestiva.

Em comunicado, o hospital sublinhou que aqueles equipamentos vêm melhorar “significativamente” a qualidade de imagem e a rapidez e dinâmica do procedimento.

Em causa estão endoscópios altos, colonoscópios e duodenoscópios de alta definição e respetivos processadores e monitores, bem como equipamento acessório.

A aquisição destes equipamentos foi concretizada com recurso a verbas transferidas pelo Orçamento do Estado.

Entretanto, e para complemento daquele investimento em Gastrenterologia, o Hospital de Braga investiu mais de 55 mil euros na compra de fontes de eletrocirurgia com árgon.

O hospital dá ainda conta da aquisição de um enteroscópio espiral, que vai permitir introduzir, em breve, esta nova técnica endoscópica, evitando que os utentes se desloquem a outras instituições para realização do exame.

Citada no comunicado, a diretora do Serviço de Gastrenterologia do Hospital de Braga, Raquel Gonçalves, referiu que o reforço destes equipamentos permite “uma maior diferenciação técnica, através de tecnologia mais moderna, apostando-se na inovação com o objetivo de aumentar a capacidade e a qualidade de resposta nesta especialidade”.

“O objetivo é continuar a apostar na melhoria contínua destes cuidados na região, uma vez que a procura desta especialidade é elevada, nomeadamente para realização de exames de elevada complexidade”, acrescentou.

ULSAM investe 1,2ME em novo aparelho de ressonância magnética

O Hospital de Santa Luzia, em Viana do Castelo, inserido na Unidade Local de Saúde do Alto Minho (ULSAM), vai passar a contar com um novo aparelho de ressonância magnética, num investimento de 1,2 milhões de euros.

De acordo com declarações do presidente do Conselho de Administração da ULSAM, Franklim Ramos, o “novo equipamento, com 1,5 Tesla, substituirá o existente, com 0,4 Tesla, permitindo fazer todos os exames prescritos na ULSAM, nomeadamente os exames designados por alto campo”.

O dirigente referiu que “devido à tecnologia incorporada atualmente, aumentará a qualidade da imagem obtida, permitindo deste modo, aos clínicos, uma avaliação mais rápida, rigorosa e mais acertada da imagem”.

O equipamento foi adquirido por concurso público internacional, estando prevista a sua chegada no dia 20 de março. A instalação deverá ter início em junho, prevendo-se que o funcionamento decorra entre em junho e julho.

O equipamento vai ser instalado na nova ala de imagiologia de ambulatório da ULSAM, área que aumentará a capacidade para conforto dos pacientes.

Este aparelho vai permitir a realização de ressonâncias magnéticas de corpo, neurorradiologia, exames funcionais e biópsias por ressonância magnética, assim como todos os exames de imagiologia cardíaca.

ULS Nordeste tem novo raio-X

O Centro de Saúde de Mogadouro, integrado na Unidade Local de Saúde (ULS) do Nordeste, conta com um novo aparelho de raio-X, num investimento de aproximadamente 77.200 euros.

Com este equipamento, o Centro de Saúde de Mogadouro (e em particular o Serviço de Urgência Básica) passa a dispor de um sistema de radiologia digital, cuja tecnologia permite um rápido processamento de imagens, de alta-definição, e garante a emissão de uma reduzida radiação.

O novo aparelho permite a realização, no Centro de Saúde de Mogadouro, de todos os exames de Radiologia Geral e também de exames extralongos da coluna vertebral e membros inferiores.

Em comunicado, a ULS do Nordeste explicou que este equipamento está também ao serviço dos utentes dos concelhos limítrofes, 24 horas por dia, tanto para diagnósticos de urgência como para realização de exames no âmbito de consulta, evitando assim deslocações adicionais dos utentes ao centro de saúde.

Bloco operatório do HFZ-Ovar tem novo sistema de distribuição de imagem

O bloco operatório (BO) do Hospital Dr. Francisco Zagalo – Ovar (HFZ-Ovar) dispõe desde janeiro de um novo sistema de distribuição de imagem, permitindo uma maior operacionalidade neste serviço sensível.

Com interface simples e intuitiva, o “Videomed Truelink4” permite que os cirurgiões acedam – em melhores condições – às imagens de apoio às intervenções que realizam.

“Estamos convictos de que este equipamento vai melhorar o desempenho e assegurar a utilização eficiente dos recursos disponíveis, aumentando, desta forma, a produção e qualidade dos serviços prestados no bloco operatório”, afirmou o presidente do Conselho Diretivo da unidade hospitalar, Luís Miguel Ferreira, adiantando que esta medida surge no âmbito do projeto “Hospital do Futuro: A interoperabilidade digital”, cofinanciado pelo SAMA2020.