Nova sala de exames especiais inaugurada no hospital de Faro

O Serviço de Gastroenterologia da Unidade Local de Saúde do Algarve (ULSALG) realizou, a 16 de maio, o primeiro procedimento, com apoio de fluoroscopia, na nova sala de exames especiais na Unidade Hospitalar de Faro.

“Este avanço marca a adaptação de uma das salas de endoscopia da unidade de técnicas que permite a realização de procedimentos que carecem de apoio de fluoroscopia e anestesiologia, nomeadamente as CPREs (técnica endoscópica avançada do pâncreas e das vias biliares) e a colocação de próteses no tubo digestivo”, lê-se em comunicado divulgado.

De acordo com a ULSALG, esta melhoria permitirá a autonomia do serviço de gastrenterologia na realização destas técnicas, dispensando a deslocação da equipa clínica e do equipamento à sala de angiografia do serviço de radiologia ou ao bloco operatório.

“O facto de não termos de deslocar a equipa e todos os equipamentos e acessórios para o serviço de radiologia ou para o bloco central faz com que otimizemos os períodos de exames, aumentando a oferta. Assim, os pacientes beneficiam com a rapidez no acesso aos procedimentos, com a mesma qualidade assistencial”, afirmou o diretor do serviço, Bruno Peixe.

A nova sala está equipada com um Arco em C e todo o equipamento endoscópico necessário à realização dos procedimentos a que se destina. As obras de adaptação e a aquisição do equipamento de RX inserem-se no plano de recuperação e renovação dos Blocos Operatórios da ULSALG para aumentar tempos cirúrgicos disponíveis e assim proceder à recuperação de lista de espera.

USF Cardilium em Torres Novas vai ter novas instalações por 2ME

A Unidade de Saúde Familiar (USF) Cardilium, que integra a Unidade Local de Saúde do Médio Tejo (ULS Médio Tejo), vai ter novas instalações, num investimento previsto de cerca de dois milhões de euros, financiados a cem por cento por fundos comunitários.

O auto de consignação da empreitada de construção foi assinado pela Câmara Municipal de Torres Novas, com as obras a terem início este mês e um prazo de execução de 550 dias.

A nova USF ficará localizada na Avenida Xanana Gusmão, junto ao Hospital Rainha Santa Isabel, com uma capacidade prevista para 14 mil utentes, com o projeto a envolver uma parceria tripartida.

A Câmara de Torres Novas vai ceder o terreno para instalação da Unidade de Saúde Familiar, responsabilizando-se pelas obras, enquanto a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARS-LVT) equipará a unidade, assegurando a ULS Médio Tejo o funcionamento quotidiano da USF.

“É uma USF que vai ficar muito bem localizada, muito perto do hospital de Torres Novas, e que vem reforçar a assistência médica no concelho, dispondo de condições modernas que permitem também melhorar a eficácia” do serviço, disse o presidente da Câmara Municipal, Pedro Ferreira, citado em comunicado.

A autarquia informou que o edifício terá uma ala dupla de gabinetes de observação e consulta e uma ala simples de um corredor que dará acesso a gabinetes e salas de tratamento, estando asseguradas as “exigências de acessibilidade a pessoas com mobilidade condicionada” e tem “soluções passivas para responder a condições de conforto térmico, iluminação e eficiência energética”.

Para o presidente do conselho de administração da ULS Médio Tejo, Casimiro Ramos, “a concretização das novas instalações da USF Cardilium vai possibilitar a melhoria do acesso dos utentes aos cuidados de saúde, bem como melhores condições de trabalho para os profissionais de saúde”.

Casimiro Ramos destacou ainda que este investimento “vai criar condições para que as equipas possam alargar a equipa de profissionais no futuro, dado que nas atuais instalações funcionam atualmente duas USF e a Unidade de Cuidados de Saúde Personalizados de Torres Novas”.

A nova USF fica próxima de transportes, comércio e serviços, enquanto irá “contribuir para a revitalização e dinamização da vida urbana de Torres Novas e para a obtenção de ganhos em saúde pela população de Assentis, Brogueira, Chancelaria, Pedrógão, União das Freguesias de São Pedro, Lapas e Ribeira, União das Freguesias de Santa Maria, Salvador e Santiago – cerca de 14 mil pessoas”, indicou o município.

No que diz respeito ao estacionamento, encontra-se prevista uma capacidade de 67 lugares, sendo três afetos a pessoas com mobilidade condicionada e dois estacionamentos reservados exclusivamente a ambulâncias, além de um lugar para paragem nas manobras de carga e descarga de pacientes.

VMER de Santa Maria vai ter novas instalações

A Viatura Médica de Emergência e Reanimação de Santa Maria vai ter novas instalações a partir do segundo semestre de 2024, anunciou o presidente do Conselho de Administração da Unidade Local de Saúde de Santa Maria, Carlos das Neves Martins, na abertura de uma sessão da VMER de Santa Maria.

O responsável disse esperar que a inauguração da nova estrutura operacional da VMER aconteça no dia do seu 20° aniversário, a 7 de junho.

“O Conselho de Administração tem analisado desde o início do seu mandato uma nova localização para a nossa VMER”, reconheceu Carlos das Neves Martins na abertura da sessão, para logo adiantar que o local, “com melhores condições de trabalho e de operacionalidade”, já está escolhido.

“O objetivo agora é assinalar os 20 anos da nossa VMER, que presta um trabalho de grande qualidade à população, com a inauguração das novas instalações”.

Carlos das Neves Martins reforçou ainda que é vontade da Unidade Local de Saúde Santa Maria ter uma ambulância de Suporte Imediato de Vida no Serviço de Atendimento Permante de Mafra, um trabalho de articulação com o INEM, e que o heliporto do Hospital de Santa Maria volte a curto prazo a receber helicópteros com operacionalidade 24 horas por dia, “tendo já cumprido todos os requisitos nesse sentido”.

A sessão da VMER de Santa Maria, dedicada ao Acidente Vascular Cerebral, foi a primeira de 2024 e insere-se numa série de eventos de partilha de boas práticas em áreas clínicas de Emergência.

ULS Almada-Seixal requalifica serviço de Urgência

As obras de expansão e requalificação do Serviço de Urgência Geral (SUG) do Hospital Garcia de Orta (HGO), da ULS Almada-Seixal, já começaram e prevê-se que estejam concluídas no final do mês de junho.

Estas obras, que resultam de um investimento de 185 mil euros, permitirão aumentar e modernizar a área de resposta assistencial do SUG.

Segundo a ULS Almada-Seixal, além do investimento em obra, o novo espaço será apetrechado com equipamentos novos (macas, cadeirões, carro de emergência, monitor desfibrilhador, carro de terapêutica, entre outros), num montante superior a cem mil euros.

“Perspetiva-se que o SUG se torne mais funcional, uma vez que o aumento da área e a sua requalificação permitirão redesenhar e aperfeiçoar circuitos existentes. Com 225 metros quadrados, 11 macas e quatro cadeirões, esta área será exclusiva para doentes triados com pulseira “laranja” que, atualmente, permanecem na Área de Observação Clínica conjuntamente com os doentes com pulseira “amarela”. Pela primeira vez na história do HGO, o SUG terá áreas separadas”, refere a ULS Almada-Seixal em comunicado divulgado.

Além do novo espaço, haverá também um reforço do quadro de pessoal. A nova “Sala Laranja” terá uma equipa de internistas dedicada, o que permitirá uma abordagem e um tratamento mais dirigidos, mais adequados e mais rápidos, encurtando os episódios de urgência.

“Trata-se de um investimento estruturante, com vista à melhoria da qualidade assistencial na nossa Urgência Geral, aumento da segurança e do conforto dos nossos utentes, contribuindo, também, para a humanização dos cuidados prestados”, disse a presidente do Conselho de Administração da ULS Almada-Seixal, Teresa Machado Luciano, citada em comunicado.

“Não podemos esquecer, ainda, outra vertente fundamental que se prende com a melhoria das condições de trabalho dos nossos profissionais de saúde, a quem agradecemos o empenho diário, mesmo em condições mais desafiantes”, acrescentou a responsável.

A ULS Almada-Seixal informou ainda que durante as obras o SUG manterá o normal funcionamento.

Leiria aprova projeto para Unidade de Saúde de Santa Eufémia e Boa Vista

A Câmara Municipal de Leiria aprovou, em reunião, o projeto de execução para a construção de uma Unidade de Saúde na União das Freguesias de Santa Eufémia e Boa Vista.

A erguer em terreno localizado em terreno junto ao entroncamento da Avenida D. João Pereira Venâncio e a Rua Padre António Reis, em Santa Eufémia, o novo estabelecimento de saúde terá 595 metros quadrados de construção e será composto por uma receção, oito gabinetes médicos e de enfermagem, salas de tratamentos e uma área de apoio.

No exterior, serão criados 28 lugares de estacionamento para utentes e profissionais de saúde, num investimento que chega quase aos 1,5 milhões de euros, financiados pelo PRR – Plano de Recuperação e Resiliência.

Na mesma reunião, foram também aprovados os protocolos com a Administração Regional de Saúde do Centro para execução das obras de construção da Unidade de Saúde dos Pousos e da Unidade de Saúde da Barreira.

ULSGE inaugura novo internamento de ortopedia com 32 camas

O novo internamento de Ortopedia B da Unidade Local de Saúde Gaia e Espinho (ULSGE), no Hospital Eduardo Santos Silva (HESS), foi inaugurado a 3 de abril, deixando assim as suas instalações provisórias no Piso 1 do hospital, onde se encontrava desde a mudança do Hospital de Gaia para o HESS.

O internamento, agora localizado no Piso 3 do Edifício B (Entrada B1) do Hospital Eduardo Santos Silva, dispõe de 32 camas, “oferecendo assim um ambiente moderno e adequado para o tratamento dos pacientes ortopédicos”, lê-se em comunicado divulgado pela ULSGE.

O diretor do Serviço de Ortopedia da ULSGE, Rui Lemos, expressou a sua satisfação com esta transição que, de acordo com o próprio, “era há muito aguardada”. Deixou ainda o seu agradecimento a toda a equipa, e em especial ao CA “pela iniciativa em realizar esta transição, tão importante para profissionais e utentes”.

O presidente do Conselho de Administração da ULS Gaia e Espinho, Rui Guimarães, elogiou “a resiliência demonstrada durante todo o processo de transição, que apesar de demorado, hoje se conclui”.

Rui Guimarães enfatizou ainda “o compromisso contínuo da ULSGE em melhorar os serviços de saúde”, deixando a promessa de que “até o final do ano a consulta externa também será transferida para o HESS”.

Já a diretora Clínica para os Cuidados Hospitalares da ULSGE, Diana Mota, congratulou o serviço de ortopedia pelo novo internamento. “Relativamente à taxa de execução em patologias da anca somos, atualmente, os melhores do nosso grupo (D), conquista que reflete não apenas o sucesso da ortopedia, mas sim o trabalho conjunto de toda a organização”, salientou.

Serviço de Urgência de Águeda tem novas instalações

O ministro da Saúde, Manuel Pizarro, inaugurou, a 27 de março, as novas instalações da Urgência Básica do Hospital Conde de Sucena, em Águeda.

Depois de um investimento de 1,6 milhões de euros, financiado pelo PT2020, o Serviço de Urgência que serve a população de Águeda, Anadia, Albergaria e Sever do Vouga tem novas condições para os utentes e melhores acessibilidades.

A presidir a inauguração, o ministro da Saúde sublinhou que é essencial manter a resposta de proximidade no SNS, de que é exemplo esta unidade. “Precisamos de centralizar nas áreas mais diferenciadas, em que isso nos permite obter melhores resultados, mas não podemos nunca perder a escala da proximidade”, afirmou.

O governante insistiu na necessidade de consolidar mudanças importantes no setor da saúde em Portugal, nomeadamente diminuir o recurso evitável aos serviços de urgência em situações não urgentes e investir cada vez mais na promoção da saúde, “que poderá ser a grande conquista deste século”.

Manuel Pizarro sublinhou que a criação das ULS e o trabalho que está em curso é uma oportunidade nesse sentido, a par do maior envolvimento das autarquias com a descentralização de competências na área da saúde, que abrange 189 municípios.

“O SNS é uma construção extraordinária da democracia portuguesa”, afirmou o ministro da Saúde, defendendo a importância de unir esforços para preservar e reforçar o serviço público de saúde.

Inaugurada a primeira USF do distrito de Bragança

O secretário de Estado da Saúde, Ricardo Mestre, inaugurou a 15 de março a Unidade de Saúde Familiar (USF) Tua Saúde, no Centro de Saúde de Mirandela I, no âmbito de uma visita à Unidade Local de Saúde do Nordeste.

Trata-se da primeira USF constituída no distrito de Bragança e na área de abrangência da ULS do Nordeste, integrando o Departamento de Cuidados de Saúde Primários. Faz parte das 222 novas USF a nível nacional que, atendendo aos índices de desempenho positivos, transitaram este ano para modelo B – o mais avançado nesta área de cuidados.

“Com uma equipa constituída por médicos, enfermeiros e assistentes técnicos, a USF Tua Saúde garante uma resposta moderna e de proximidade aos seus utentes, assegurando que todos têm acesso a médico e enfermeiro de família”, lê-se em comunicado divulgado pelo Serviço Nacional de Saúde.

A cerimónia de inauguração foi presidida pelo secretário de Estado da Saúde, acompanhado pela secretária de Estado do Desenvolvimento Regional, Isabel Ferreira, pelo presidente da ULS do Nordeste, Carlos Vaz, e pela presidente da Câmara Municipal de Mirandela, Júlia Rodrigues.

Durante as intervenções, a opinião foi unânime quanto às vantagens deste modelo de organização dos Cuidados de Saúde Primários para a população, numa ótica de proximidade e de articulação de cuidados, dando assim uma resposta célere e de qualidade às suas necessidades. Neste sentido, foi igualmente enaltecido e aplaudido o empenho dos profissionais que integram a USF Tua Saúde, que assumem um papel importante no fortalecimento dos serviços de saúde da região, em particular, e do Serviço Nacional de Saúde, em geral.

“No acolhimento ao utente na USF, os profissionais valorizam as boas práticas clínicas e de atendimento em saúde, procurando a melhoria contínua dos indicadores associados à saúde e bem-estar de cada pessoa”, refere o mesmo comunicado.

Integrado na reforma dos Cuidados de Saúde Primários, este modelo de cuidados pretende dar resposta, com autonomia funcional e técnica, às necessidades em saúde dos utentes, assegurando cuidados atempados e de qualidade à população, valorizando, ao mesmo tempo, o empenho dos profissionais que integram estas equipas, através da atribuição de incentivos remuneratórios pelo seu desempenho.

A USF Tua Saúde funciona também aos sábados, no período entre as 9 e as 14 horas, permitindo, este horário complementar, aumentar a resposta ao nível da consulta programada e de situações de doença aguda.

Porto quer construir e requalificar 11 centros de saúde

A Câmara Municipal do Porto prevê submeter, até ao final do mês, 11 candidaturas ao Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) para a reabilitação e construção de centros de saúde, representando um investimento de 19,5 milhões de euros.

Em reunião de Executivo, a vereadora com o pelouro da Saúde, Catarina Araújo, disse que a autarquia definiu como prioritária a apresentação de 11 candidaturas, alertando que as candidaturas a financiamento do PRR, além de terem prazos curtos – terminam no final de março – primarem pela “ausência de informação da parte das entidades de saúde”, obrigando o município a “definir prioridades, de uma forma responsável e muito pragmática”.

Apostando “nas obras de maior envergadura e que exigiam maior investimento”, o município tem “seis candidaturas apresentadas e acreditamos que, até ao final do mês, que é o prazo limite, vamos conseguir apresentar as outras cinco para cumprir com o propósito a que nos propusemos”, disse a vereadora.

Os seis projetos apresentados são o da construção da unidade de saúde de Azevedo Campanhã – cujo financiamento de 600 mil euros já está aprovado –, Carvalhido e Garcia de Orta / Homem do Leme, ambos com uma verba de 3,5 milhões de euros.

Para requalificação estão já submetidos os projetos da unidade de saúde de Aldoar (1,5 milhões de euros), Porto Douro (1,1 milhões) e Foz (450 mil euros). As restantes – a construção em Santos Pousada e as requalificações do Cerco, Vale Formoso, Serpa Pinto e CDP – aguardam elementos.

“As outras infraestruturas são em número residual e de investimento residual. Não são prioritárias, não há nenhuma situação que nos preocupe sobremaneira”, assegurou Catarina Araújo.

Obras no Serviço de Urgência de Abrantes começam este mês

O Tribunal de Contas (TdC) concedeu visto prévio favorável à empreitada de requalificação e ampliação do Serviço de Urgência Médico-Cirúrgica da Unidade Hospitalar de Abrantes, após os esclarecimentos enviados pela Unidade Local de Saúde do Médio Tejo (ULS Médio Tejo).

Assim, estão reunidas todas as condições para se dar início à obra, o que deverá ocorrer até ao final do mês, informou a ULS Médio Tejo em comunicado enviado à redação.

A intervenção de requalificação e ampliação da Urgência do Hospital de Abrantes da ULS Médio Tejo visa reorganizar o espaço existente, dotá-lo de melhores condições de funcionamento, através da sua ampliação e modernização.

“As novas instalações da Urgência vão permitir prestar um melhor serviço aos cidadãos, mas igualmente para dotar os profissionais de melhores condições de trabalho”, lê-se no comunicado.

Segundo a ULS Médio Tejo, os trabalhos de requalificação e ampliação da Urgência do Hospital de Abrantes estão orçados em 3,6 milhões de euros e vão decorrer de forma faseada durante o próximo ano e meio – ou seja, até ao final do terceiro trimestre de 2025, envolvendo uma área de intervenção de mais de 1 200 metros quadrados.

A primeira fase dos trabalhos vai decorrer exclusivamente no local onde estava localizada a antiga Consulta Externa da Unidade Hospitalar de Abrantes, área essa que se encontra presentemente desativada.

“É objetivo da ULS Médio Tejo executar a empreitada de forma faseada, mantendo o Serviço de Urgência Médico-Cirúrgica em pleno funcionamento e com o mínimo constrangimento possível durante todo o processo. Tal visa não comprometer a prestação de cuidados urgentes aos 11 concelhos servidos e, também, aos concelhos limítrofes, no âmbito da assistência em rede que caracteriza o Serviço Nacional de Saúde (SNS)”, afirmou a ULS Médio Tejo.

Neste momento, o serviço de urgência da ULS encontra-se com limitações estruturais face ao número de população servida. Em alturas de grande afluência, o espaço torna-se insuficiente, interferindo na capacidade de resposta da instituição, dos seus profissionais de saúde e no conforto e bem-estar oferecido aos utentes.

A concretização deste projeto vai permitir o exercício de uma medicina mais segura, moderna e diferenciada pelas equipas de profissionais de saúde da ULS Médio Tejo aos seus utentes. A Urgência de Abrantes ficará assim dotada de meios e instalações mais modernos e que potenciem a sua atratividade e competitividade na missão atribuída ao SNS.