Hospital de Braga tem novo equipamento de TAC no Serviço de Urgência

O Hospital de Braga adquiriu, recentemente, um novo equipamento de Tomografia Axial Computadorizada (TAC), num investimento que rondou cerca de 307 mil euros.

Este novo equipamento, a ser instalado no Serviço de Urgência (SU), possuiu características de maior precisão, permitindo agilizar a realização de TAC’s, nomeadamente de doentes politraumatizados que se encontrem neste serviço.

De acordo com o Hospital de Braga, “este novo aparelho dispõe de um sistema moderno e de fácil utilização, permitindo ganhos em tempo e produtividade”. Assim, a oferta diferenciada de meios técnicos de diagnóstico deste hospital é reforçada com a melhoria da resposta de cuidados prestados nesta área.

Para o manuseamento deste novo equipamento, será iniciado um processo de formação dos profissionais que trabalhem diretamente com o mesmo para que adquiram a experiência necessária, informou ainda o hospital.

HFF investe 100 mil euros na renovação do bloco operatório

O Hospital Professor Doutor Fernando Fonseca (HFF) avançou na renovação tecnológica do seu bloco operatório e passou a dispor de duas “salas inteligentes”, num investimento estimado de 100 mil euros.

De acordo com o médico e diretor do bloco operatório Carlos Marques, estas denominadas “salas inteligentes” vêm permitir melhores resultados nas intervenções cirúrgicas num conjunto alargado de especialidades médicas.

“Estas duas salas representam um salto tecnológico muito importante, inserido num projeto mais vasto de renovação das 11 salas cirúrgicas do HFF”, explicou Carlos Marques. Com estas duas salas, é possível “toda uma dinâmica e partilha de informação que traz mais-valias muito importantes relativamente a uma sala convencional”, referiu.

Através da integração é possível aceder em tempo real aos dados atualizados do doente, como por exemplo os exames imagiológicos, o que permite uma melhor tomada de decisão no decurso das cirurgias.

“Tudo isto através de softwares e aplicativos específicos que controlam a gestão da informação e também através de um conjunto de monitores de alta-definição que permitem uma adequada visualização de toda essa informação”, lê-se no comunicado divulgado pelo hospital.

Este tipo de salas possibilitam um aumento da precisão e procedimentos menos invasivos, o que se traduz em maior conforto e segurança para os doentes.

A componente tecnológica destas salas permite também um aumento da eficiência da utilização dos tempos cirúrgicos, uma vez que é possível guardar as especificações de equipamento para os cirurgiões ou para equipas cirúrgicas, evitando assim perdas de tempo na configuração da sala a cada nova intervenção.

O diretor do bloco destacou ainda a tecnologia presente nestas salas que permite ainda “a transmissão em tempo real das cirurgias, podendo ser visualizadas em qualquer local desde que com acesso à internet”.

“Assim, as ‘salas inteligentes’ são também um recurso importante para a área da formação, possibilitando difundir o conhecimento na área cirúrgica por outros profissionais de saúde, sejam da própria instituição ou de outros hospitais, bem como abrem a possibilidade do envolvimento remoto de outros especialistas no processo intraoperatório”, realçou ainda Carlos Marques.

Urologia, cirurgia-geral, ortopedia e ginecologia são algumas das especialidades em que estas novas salas vão possibilitar a entrada num novo patamar técnico. Poderão ser utilizadas para qualquer outra especialidade, sobretudo “sempre que a utilização destes recursos tecnológicos possa contribuir para alcançar os melhores resultados nas cirurgias que proporcionamos aos utentes do HFF”, concluiu o diretor do bloco operatório.

Webinar sobre Metrologia na Saúde

Dando cumprimento ao Plano de Atividades da ATEHP, a Direção da Associação organizou uma vez mais, um Webinar sobre Metrologia na Saúde, por forma a transmitir conceitos e aplicabilidades do ramo metrológico  em contexto hospitalar.

Assim, teve lugar no dia 31 de Maio de 2021, pelas 17h00, no formato Webinar, subordinada ao tema “Metrologia na Saúde”, em colaboração com o IPQ, SUCH, ISQ e Tradelabor.

 

Programa:

Abertura e apresentação do Ciclo de Webinar ATEHP

Abraão Ribeiro, Presidente da Direção da ATEHP

Moderação

Bárbara Rodrigues, Vogal do Conselho Fiscal e de Disciplina da ATEHP

Coordenação

Luís Marques, Relator Conselho Fiscal e de Disciplina da ATEHP

 

Apresentações

1ª. Maria do Céu Ferreira, Instituto Português da Qualidade (IPQ)

a)  Metrologia e Inovação em Saúde: Que Desafios?

2ª Jorge santos, Serviços de Utilização Comum dos Hospitais (SUCH)

a)      A Importância da Metrologia no âmbito da garantia da Qualidade da medição de Equipamentos Hospitalares

3ª Sílvia Domingues, Instituto Português da Qualidade (ISQ)

a)      Atualidade metrológica nos Dispositivos Médicos

4ª Joaquim Guedelha e Manuel Bernardo, Tecnologia de Ponta no controlo de Tratamento do ar (tradelabor)

a)      Aprovação para uso do Equipamento Clínico

b)      Como estabelecer o Critério de Aceitação

c)       A importância da Incerteza

 

Após a apresentação seguiu-se um período de debate bastante participado, de cerca de 20 min.

O webinar contou com a presença de cerca de 79 participantes em simultâneo, tendo terminado pelas 19h20.

 

 

Vídeo em preparação. 

CHUC participa em projeto europeu para desenvolver dispositivos médicos

O Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) é parte integrante de um consórcio constituído por cinco parceiros europeus que recebeu, do European Innovation Council, três milhões de euros de financiamento para o projeto SAFE-infusion Swirl.

Trata-se de um projeto a dois anos que visa desenvolver dispositivos médicos (DM) para reduzir as questões de desconexão intravenosa (IV). Os resultados esperados para este projeto irão determinar se a tecnologia desenvolvida vai contribuir para melhorar a entrega de medicamentos intravenosos em ambientes hospitalares e de cuidados domiciliários.

Este estudo colaborativo vai testar as tecnologias desenvolvidas em dois hospitais europeus, o CHUC, em Portugal e o Parc Sanitari Sant Joan de Déu, em Espanha, antes do lançamento a nível europeu.

A infusão intravenosa é o procedimento invasivo mais comum nos cuidados de saúde modernos, com mais de 80 por cento dos doentes em hospitais a receberem uma IV como parte do seu tratamento. A IV fornece medicação diretamente na veia utilizando tubos que estão ligados a um saco de líquidos.

Complicações da IV são frequentes, com interrupções da dose prescrita, levando a uma redução da qualidade dos cuidados aos doentes, especialmente nos casos em que são necessários fármacos críticos em termos de tempo.

Hospital da Figueira da Foz tem unidade de ecocardiografia avançada

Com o objetivo de melhorar a qualidade dos cuidados prestados aos utentes, o Hospital Distrital da Figueira da Foz (HDFF) dispõe de uma nova unidade de ecocardiografia avançada.

Em comunicado, o HDFF explicou que a nova unidade, equipada com ecocardiógrafo premium Acuson SC2000, com tecnologia diferenciadora 4D, capacita o HDFF para a realização de exames, tais como ecocardiografia transtorácica e transesofágica tridimensional.

Esta unidade permite assim a realização de análises avançadas de função ventricular e das válvulas cardíacas, assim como exames de sobrecarga farmacológica, possibilitando a avaliação das artérias coronárias, em condições de esforço.

Esta tecnologia vem acrescentar capacidade de diagnóstico e prognóstico na doença cardíaca e possibilitar a realização de exames cardiológicos de proximidade no HDFF que até ao momento eram realizados noutras unidades hospitalares, implicando a deslocação dos utentes.